O Tarot tem religião?

quarta-feira, abril 14, 2021

Essa é uma pergunta recorrente para quem não conhece o tarot. Da mesma forma que pensam que é necessário ser um sacerdote para exercer a profissão de tarólogo ou para poder abrir as cartas, há também quem pense que é necessário ter uma religião para usufruir dos oráculos.


O Tarot tem religião?
Baralho de Maria Padilha: uma pombogira a qual tenho muita afinidade.

Acredito que muita gente pensa assim porque sabemos que para alguns outros oráculos, como o jogo de Búzios do candomblé, por exemplo, é necessário que a pessoa que jogue seja um sacerdote da religião e se dedique exclusivamente a isso.

Só que isso faz parte desta religião, especificamente.

Mas essa ideia não se aplica ao tarot e oráculos, como as runas, baralho cigano, etc.

Isso é um mito que torna a arte de tirar cartas algo elitista, feito apenas para os "iluminados".

Isso é igual aquela crença de que seu primeiro deck de tarot deve ser dado por alguém, não comprado. Pffff isso é uma besteira herdada do século XIX.

Isso é apenas uma forma elitista de dizer que o tarot é só para os "escolhidos" também. Escolhidos de quê né? Se vivem no mesmo planeta que nós? Porque seriam melhores do que você?

Engraçado que esse povo paga de espiritualizado, mas o ego é lá nas alturas, né? Porque se acham melhores do que os outros.

Faz sentido isso?

Agnosticismo vs. Tarot

Para você ter noção, eu me sinto no dever de escrever esse post porque sou uma bruxa agnóstica. E não... Ser agnóstico não significa ser ateu!

Portanto não é algo contraditório, mesmo que pareça.

Eu tenho sim minhas crenças, mas não tenho um deus ou deusa definidos.

O único deus que existe, na minha humilde opinião, é o próprio universo, sem cor, sem gênero, sem forma. Inclusive, sempre enfatizo aqui que bruxaria não é religião. 

Então eu não tenho religião alguma.

Eu acredito que deuses são invenções da humanidade para que a gente pudesse estreitar a nossa relação com natureza, utilizando-se de imagens a forma de animais e humanos. 

Portanto, utilizamos dos arquétipos deles para que possamos atrair as energias que desejamos.

Enfim, deixo bem claro aqui que é a minha opinião, é a forma que eu enxergo o mundo e isso não é regra, ok?


Possuímos o livre arbítrio

Você é livre para acreditar (ou não acreditar) em quem quiser, da forma que você quiser. 

Não há mal nenhum adorarmos imagens, fadas, anjos, gnomos, santos, entidades e o que for. Se isso te faz se conectar com a sua espiritualidade, tá valendo! 

Não há mal algum se utilizar do tarot e oráculos para se comunicar com os deuses que você cultua, seus guardiões e mentores. 

Eu por exemplo acredito em espíritos bons e maus, também acredito em guardiões, mentores espirituais, porque sempre tem alguém soprando algo no meu ouvido, inclusive enquanto tiro as cartas.

Mas isso é o que eu acredito, é minha forma pessoal de tirar as cartas. 

Isso não significa que eu não possa jogar as cartas pedindo apenas uma clarificação do universo, sem especificar religiões, crenças ou algo do tipo. 

O tarot é neutro!

Há tarólogos que não usufruem ou se guiam por nenhuma religião, entidade ou até mesmo crença. Porque pasme: o tarot não está vinculado a religião alguma.

Portanto você pode ser cristão e jogar tarot? Sim! Ser judeu, mulçumano, ateu, evangélico, umbandista ou budista e jogar tarot? Sim!

Obviamente, sua religião pode ter dogmas que "condenem" o uso de oráculos e magia, mas aí é você quem deve usar seu livre arbítrio para jogar ou não. 


O tarot é uma ferramenta

Eu sinceramente, enxergo o tarot como uma ferramenta, como uma faca, por exemplo. 
Adoro usar o exemplo da faca. 

  • Você acha que a faca tem uma religião? 
  • Você acha que a faca é boa ou ruim?

Gente, é uma faca... não é um ser vivo. Portanto ela é neutra. Ela não tem uma religião. 

Quem vai direcionar se essa faca é um athame mágico ou apenas uma ferramenta para cortar objetos é quem a usa.

A mesma coisa acontece com o tarot e os oráculos. Ferramentas são apenas... ferramentas.

Há tarólogos que vão usar de sua própria religião para jogar as cartas, mas há tarólogos que vão abrir as cartas de uma forma terapêutica e livre de qualquer "ritual" ou crença específica.

E não há mal nenhum nisso! 

Aliás, viva a liberdade para se usufruir das cartas da forma que se sentir mais a vontade. O mais importante é usar essa ferramenta para o bem, não importa qual forma será usada.

Resumindo: não associe o tarot com religião. Religião é uma coisa, tarot é outra. 

Espero ter ajudado.
Beijo! 


PS: Não deixe de acompanhar nossa página do instagram, onde posto tiragens coletivas semanalmente e no Youtube. Aproveite e curta nossa página no Facebook para ficar sabendo das novidades em primeira mão!


📝 Postado por Gabi

Sou a fundadora deste cantinho especial chamado Grymora, desde 2020. Taróloga e bruxa natural apaixonada pelo mundo da escrita desde 2008.



Você também irá gostar de ler ♥

0 comentários

A cópia total, parcial ou adaptação deste artigo é proibida de acordo com a lei nº 9.610, de 19 de fevereiro de 1998. Não copie, compartilhe! Dê valor ao conteúdo gratuito de qualidade.

Comentários de mau gosto serão EXCLUÍDOS.