Minha família não aceita que sou bruxa! O que fazer?

domingo, março 28, 2021

Essa é uma realidade de muita gente, de muitas partes do mundo, afinal, mesmo passados 500 anos, a bruxaria ainda não perdeu o estigma de que é algo negativo, ruim e claro: pecaminoso.


Minha família não aceita que sou bruxa! O que fazer?


Não vou negar para vocês, até hoje meus pais não sabem que pratico bruxaria há 7 anos, principalmente meu pai, ele nunca me viu acender uma vela na vida.

Algumas vezes minha mãe ou minha irmã me veem acendendo velas e tal, mas dificilmente pensam que se trata de um ritual ou feitiço.

E sempre que veem, ficam querendo fazer perguntas, piadinhas de mal gosto ou saber o porquê daquilo, etc. Isso é bem incômodo na verdade, porque tem algumas coisas que a gente simplesmente não quer explicar para ninguém.

Só queremos o nosso tempo de paz e fim!

É muito difícil viver em uma casa onde contestam seus gostos, sua personalidade e seus ideais. O seio familiar, aquele que deveria nos apoiar antes de qualquer coisa, é o que promove a discórdia, o ódio, enfim, nos desestimula a ser quem realmente somos.

Isso é cruel! E eu te entendo, imagino o quanto deve ser difícil se esconder de seus familiares e viver sendo alguém que você não é para aprovação deles.

Não vou dizer que moro em um seio familiar muito cruel quanto a isso, pois minha família é bem moderna, mas quando envolve religião são conservadores sim!

Por isso, eu irei lhe aconselhar com algumas coisas que você pode fazer para que você possa continuar a praticar bruxaria sem ter que lidar com as críticas o tempo inteiro dos seus pais, principalmente se você ainda mora com eles ou é menor de idade.

Não cite a palavra bruxaria na frente deles

Sim, nunca se refira a palavra. Pense bem, católicos acendem velas, vão a novenas, fazem seus cultos religiosos, etc.

Você pode mostrar aos seus pais que os padres usam incensos, usam velas e outros instrumentos religiosos durante as missas. 

Nunca, jamais, em hipótese alguma, diga que é bruxaria, porque geralmente as pessoas não tem preconceito com a vela ou com o incenso, mas com a palavra associada ao ato.

Então uma boa dica é você ficar de bico fechado. Diga que está adorando um santo. Que está se comunicando com Deus (para pais evangélicos). Ameniza bastante (mesmo que na verdade você esteja no meio de uma invocação).

Aproveite a madrugada

Eu sei que é um pouco difícil para uma grande maioria de pessoas, porque tem gente que trabalha, acorda cedo, enfim. 

Mas se você realmente quer se dedicar a isso, faça quando ninguém estiver em casa ou quando todos estiverem dormindo.
 

Procure coisas que você possa fazer em silêncio e sem cheiros "fortes" 

É meio óbvio isso né, porque ficar dançando e cantando nu dentro do quarto com 5 incensos não vai rolar mesmo. Desenhar um pentagrama no chão até rolaria, se fosse com fiz e fosse possível apagar assim que você concluísse.

Evite os incensos, velas pretas e quaisquer instrumentos que fogem do padrão. 

Compre velas brancas e use essas velas mentalizando a cor que você deseja.

Se o ritual envolve coisas muito mirabolantes, faça uma coisa mais simples. O que importa é você fazer com amor e colocando o coração no que faz.

Acredite você, mas eu não faço nada disso! Tem gente que adora uma cerimônia. Eu sou mais prática. Gosto mais da simplicidade de acender uma vela.

Primeiramente porque aqui não tem espaço, segundo porque eu não tô a fim de ouvir lorota e piadinhas, também porque não me sinto confortável aqui para fazer algo do tipo, então eu faço um círculo mágico mental, não uso athame, evito usar varinhas e materiais muito literais de magia.

Engraçado (se não fosse trágico), eu praticamente vivo como uma bruxa na idade média... Hehe

Sincretismo religioso

Lembra do candomblé e da umbanda, que usam nomes de santos para que pudessem cultuar seus orixás? E tem gente até hoje que cultua Cosme e Damião, por exemplo, sem saber que na verdade são os Orixás Ibejis.

Para quem tem pais católicos fervorosos, quando alguém perguntar para que é aquelas velas e incensos, diga que é para a santinha que a sua mãe é devota. Ela vai ficar feliz de saber.

Evite materiais muito chamativos

Eu sei, a plenitude visual de ter um altar lindo não tem preço que pague, mas não há necessidade, principalmente quando você quer fazer algo discreto.

Hoje em dia a magia tá virando coisa de playboy. Os decks de tarot custam caro, athames de ouro, de prata, de não sei lá o que, um caldeirão tá custando 300 reais. Não tem necessidade disso gente!

Magia não é pra ostentar, é para podermos organizar nossa vida pessoal e espiritual.

Não precisa usar caldeirão para fazer feitiço e ritual, o que importa é a sua intenção... use uma panela comum. Está tudo bem usar itens domésticos como instrumentos. 

Não se esqueça que as bruxas na idade média faziam isso.

E claro, o certo era a sociedade aceitar o seu estilo de vida sem que você precisasse se esconder, mas como eu sei que muita gente vive com outras pessoas conservadoras, dependendo delas, fica mais cômodo você se adaptar também.

Mas na real, se você puder se mudar e ir viver sua vida, melhor. Você irá se libertar e isso será gratificante para você.

E saiba que você não é a única pessoa que passa por isso. Na verdade, raro é aquele que não passa!


Espero que tenha sido útil para você.
Até o próximo post.
Beijo!




📝 Postado por Gabi

Sou a fundadora deste cantinho especial chamado Grymora, desde 2020. Taróloga e bruxa natural apaixonada pelo mundo da escrita desde 2008.



Você também irá gostar de ler ♥

0 comentários

A cópia total, parcial ou adaptação deste artigo é proibida de acordo com a lei nº 9.610, de 19 de fevereiro de 1998. Não copie, compartilhe! Dê valor ao conteúdo gratuito de qualidade.

Comentários de mau gosto serão EXCLUÍDOS.